Posts Tagged ‘ música ’

É nóis no Sonique Bar!!!!

Bom leitores (ainda continuo não sabendo quantos e quem são), tenho o enorme prazer de fazer este post.

Aqui na minha cidade natal, São Paulo e agora também em Campinas, existe um lugar onde fui algumas boas vezes no ano de 2009 que é um lugar bem especial, um lugar pra quem quer se sentir em New York, um lugar moderno onde toca boa música, serve excelentes pratos e é excelência em drinks!

Esse é o Sonique Bar! Um lugar que com certeza você precisa conhecer!

E lá toca muita música boa e eu recebi um convite pra fazer um playlist temático pra ir pro Blip do Sonique e no Twitter deles e quero compartilhar com vocês aqui! O TEMA É FESTAAAAAA!!!!!

Party ON!!!!!!!!!!!!!!!

Anúncios

Retrospectiva Musical 2009

Caros leitores (dos qual conheço pouquíssimos),

Quebrando a regra dos últimos 3 anos em que postei meus mixtapes  toscos mas de coração, sempre as véspera do reveillon, hoje eu não tenho um mixtape pra colocar aqui, trabalhei que nem um louco esse ano, não tive tempo pra nada e todo o blá blá blá pra dar a desculpa.

Mas pra compensar eu vou fazer aqui um set list top 10 (em ordem aleatória)  dos melhores do meu ano, mas em forma de download individual de cada artista e cada disco de onde tirei a música.

Tem de tudo um pouco, enjoy.

1- Aloe Blacc – Shine Through

Produzido maioritariamente pelo próprio Aloe Blacc (Madlib e o seu irmão Oh No produzem uma faixa cada), o disco traz beats que misturam drums sujas de hip hop e clavinets ou instrumentos acústicos carregados de sol. Há soul, há rimas e canto, há blues, há cadências latinas, há inglês e espanhol.

Download aqui

2- Moka Only – Lowdown Suite 2: The Box

A capa do disco não é muito cativante, mas o som é na pegada de MF Doom com batidas de jazz, bumbos fortes e uma certa dose de J Dilla.  Alias, tem produça do cara em discos do Pete Rock e o próprio MF Doom. Vai na fé!

Download aqui.

3- Q-Tip – The Renaissance

Mc do A Tribe Called Quest em carreira solo. Disco não recente, mas muito bom! Várias de pista!

Download aqui.

4- Illa J – Yancey Boys

Irmão mais novo do mestre J Dilla, num disco sensacional! Um dos meus prediletos do ano.

Download aqui.

5- KLJ – Fita Mixada (Rotação 33)

Essa me acompanhou durante todo o começo do ano, nas indas e vindas pro trabalho.

Download aqui.

6- Kid Kudi – A man on the Moon

Discão! Introspectivo e com boas letras!

Download aqui.

7- Billy Paul – When Love is New

Pra fazer amor! Sensacional!

Download aqui.

8- Ernest Ranglin – Below The Bassline


Como menciona um amigo meu:  “O tio Ernest”, é uma das minhas maiores influências para as poucas horas que peguei na guitarra este ano. Ele é  um senhor de uns 70 e poucos anos que faz parte da escola Jazz Guitar dos nomes mais conhecidos como: Joe Pass, Pat Martino, Django Reinhardt e até mesmo o George Benson. A diferença… o charme do Tio Ernest é que ele leva toda a suavidade e todo o virtuosismo do jazz pra dentro do reggae. É sensacional, pra quem tem apego por isso é um prato cheio!

Download aqui.

9- Ludacris – Theater of the Mind

Fudido!

Download aqui.

10- E.M.I.C.I.D.A – Pra quem já mordeu cachorro por comida, até que eu cheguei longe.

“Quem nasceu pra largatixa, nunca vai ser crocodilo.”

Download aqui.






Macacos gostam de Metallica, diz estudo

Saguis-cabeça-de-algodão: metaleiros (Foto: Getty)

Um estudo americano constatou que macacos também podem ser metaleiros. Em uma pesquisa publicado na revista Biology Letters, da Royal Society Journal, saguis-cabeça-de-algodão foram submetidos a uma série de músicas, desde clássica até jazz. De todas elas, as únicas que conseguiram acalmar os bichanos foram as da banda Metallica.

O experimento foi conduzido pelo psicólogo Charles Snowdown, da Universidade de Wisconsin-Madison, e pelo músico David Teie, que toca violoncelo na Orquestra Sinfônica Nacional. Para o estudo, os pesquisadores fizeram os saguis escutarem músicas de Bach, Led Zeppelin, Miles Davis, entre outros.

A conclusão é que macacos interpretam os sons de uma maneira diferente dos humanos. “Estranhamente, a única resposta que tiveram a diversas amostras de músicas foi uma resposta calma à banda de heavy-metal Metallica”, disse Snowdown à publicação, segundo reportagem do jornal Daily Telegraph.

O psicólogo explica que a fala das pessoas não expressa necessariamente o estado emocional delas. “Quando acrescendo elementos extras, mudo o tom da voz, o ritmo, a altura ou velocidade, é onde está o conteúdo emocional”. Ele deu o exemplo de bebês humanos, que também são capazes de interpretar diferentes tons e alturas de voz.

“Aprovação tem um tom crescente e tranquilização tem um tom decrescente. Adicionamos atributos musicais ao discurso para influenciar o estado afetivo de um bebê”, afirma. “A voz, o padrão de entonação, a musicalidade, podem ser mais importantes do que palavras”.